07 dezembro 2007

0013 - Patrimónios da Semana 04 (Figueiró da Granja)



CAPELA DE NOSSA SENHORA DA COPACABANA
Esta capela quase nunca mencionada nos roteiros mais divulgados, fica situada no Outeiro de Cima na antiga vila e hoje aldeia de Figueiro da Granja. Eu considero-a interessante por várias razões:
- A construção em planta quadrangular (ou quase) e cobertura de quatro águas, (outrora telhado, mas depois da qualificação em metal) e a fontaria em empena recta com um campanario a rematá-la.
- A invocação não muito usada em Portugal e com origem na América do Sul onde foi missionário o fundador da capela no século XVII.
- O enquadramento da capela com um belo adro murado que tem na estremidade norte um pequeno cruzeiro com uma base com uma gravação interessante, mesmo em frente de uma casa muito antiga que se supõe ter sido a aprimeira residência dos 'Osórios' em Portugal família nobre originária de Castela, que aqui assentou arraiais no seculo XIV ou XV.
- O fundador da capela; Simão Soveral Tenrreiro, era descendente do 'Soverais' uma família 'fornoalgodrense', muito antiga com origens pelo menos no século XIII!

(Enviado por Albino Cardoso, sócio nº 15)

6 comentários:

pensarfornos disse...

Parabéns à Câmara e à Junta por esta recuperação, pois era um atentado, o modo como se encontrava anteriormente este espaço. Os apelos lançados há algum anos atrás no jornal "O Figueirola" tiveram um desfecho satisfatório. Fazia um pequeno repara ao telhado que não condiz com o resto da estrutura. Mas aqui fala um leigo na matéria.

al cardoso disse...

Caros amigos da "Terras de Algodres":
Bem hajam pelo acolhimento, mas nao havia necessidade nenhuma da divulgacao da origem da colaboracao!

Um abraco d'algodrense de amizade.

Amaral disse...

Terras de Algodres
Muito bem, achei interessante o nome da capela Copacabana (?). Já agora poderiam colocar um post a explicar o porquê deste nome.
Bom feriado
Abraço

Terras de Algodres disse...

Monsenhor Pinheiro Marques, no seu Terras de Algodres, dá uma explicação:
"O Santuário Mariano diz que "este misterioso nome de Copacavana se tomou do lugar em que é venerada, que é uma vila do Império Peruano, onde é venerada num Convento da Agostinhos com grande devoção pelos muitos prodígios.
Encontrando-se ai um Clérigo chamado Simão de Soveral, natural da Vila de Fornos, e adoecendo gravemente, prometeu à Senhora que, se ela lhe desse vida e o levasse à sua Pátria, lhe edificaria nela uma casa em que colocasse uma imagem sua. Foi para cumprimento desta promessa que o Padre Simão Soveral Tenreiro a mandou edificar..." no século XVII.

Carlos de Matos disse...

Ola

Desconhecia complatemente esse culto e a sua historia é bastante interessante. Imagino que o interior deve ser rico e representante da arte sacra desses tempos, sera que alguem teria fotos do altar ou da imagem da Santa ?

Prazer em ler-vos

al cardoso disse...

Caro Carlos:
Infelizmente tenho que informa-lo que o altar e imagem da santa, ja ca nao existem, foram daqui retrirados para um solar de uma famila de Fornos, que era a quem pertencia a capela, que era particular. Felizmente foi devolvida a freguesia, mas encontrava-se quase arruinada, este aspecto so o tem desde a sua recuperacao em fins do seculo passado.
Mas o Figueirola podera dar mais informacao.